quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Das coisas simples da alma...

Minha alma é artista. Ela canta. Quando menos
se espera...

O medo e a cobrança não exercem nenhum tipo de pressão sobre ela.

Limpa, serena e extremamente paciente.
Dias ruins todo mundo tem, se deixa abalar quem quer.

Bem precioso esse chamado vida... Não há nada mais frágil e forte ao mesmo tempo.

Já fui de reclamar e sofrer... hoje só sei cantar...
e minha alma canta, e canta, e canta...

Eu eliminei do meu dicionário a palavra: pressa. Quem tem pressa pra viver, tem pressa também para morrer.

Cuide da sua alma... Não machuque-a com stress desnecessário. Cuide como a plantinha que frágil resiste crescer em meio a calçada... e se você já sofreu, trate sua alma como a plantinha depois da geada... ela há de rebrotar! Todas as vezes!

Tudo que eu sinto por você...


Um dia de chuva qualquer. Ou melhor... um dia de chuva. Mas nada normal. Um dia chuvoso, onde a água não se continha.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Sobre o libertar e libertar-se

Já disseram os poetas que muitas vezes a liberdade é o que prende as pessoas.
Como esse é o 100º post do blog, eu vou afirmar pela 100ª vez que o que mais me tira do sério, são as pessoas que tentam prender ou sufocar o que nasce pra ser livre.
Conheço muitas pessoas assim. Conheço pessoas tão pequenas internamente que nem ao menos sabem viver sozinhas... precisam se afirmar tendo um objeto ao lado.
Eu sou um misto de borboleta, passarinho e vento...  e não aceito na minha vida pessoas que sejam gaiola, lagarto ou tempo seco!
Nos ultimos dias tenho me desapegado das coisas que me fazem mal, e abraçado tudo aquilo que eu julgo me fazer bem, me permitindo conhecer o lada da vida que me da prazer, e me faz sentir completa e realizada... Deus como sempre, parece ter canal direto com meus desejos mais infantis... conhecendo cada cantinho da minha alma e do meu pensamento... sendo assim, me presenteia grandiosamente!
Você já ouviu falar : - "Só se ama de verdade uma vez" ?
eu sempre defendi que nos apaixonamos o tempo todo, inevitavelmente, e muitas evzes pela pessoa errada. Mantenho essa linha de pensamento. Porém não esquecendo de diferenciar amor e paixão. É verdade. Só se ama de verdade UMA vez. Jogo único e exclusivo.
Com descobrir que é amor? Não importa onde ele esteja, irá te procurar.
Não adianta correr nem se esconder...
O amor te acorda as 4 horas de uma madrugada abafada de quinta-feira... e sopra aos teus ouvidos que cada pensamento seu estará comprometido, pelo menos até o fim dos seus dias, até que esse amor se multiplique, e desvie luz para outros amores que deste principal nasça.
O amor te procura, seguindo cada passo seu na rua silenciosa, que ecoa a serenata dos grilos... serenata essa que se confunde com a voz do seu coração que canta o tempo todo.
O amor, esse bandido, rouba de ti cada reação de felicidade, e conta todos os minutos de distância para que seja cobrado na hora de matar a saudade do ser que encantou e lacrou seu coração.
O amor pode também romper qualquer barreira, linha do tempo, muro, cerca elétrica ou poça de lama... ele tudo quebra e vence... inclusive as tramelas que muitas vezes insistimos em colocar! O amor destranca nosso coração para que alguém especial entre, e logo após tranca, deixando o ser amado num lugar seguro, embora nem sempre calmo.
Viramos frágeis cristais na mão desse sábio manipulador... e tudo é tão gostoso, que até a dor se torna familiar.
Você já sentiu o amor doer? Sabe o que é isso? Felicidade transborda, meus amigos. A ponto de querer explodir e querer arrebentar cada veia que companha a máquina do seu corpo.
O amor provoca o reencontro que você jamais acreditou que um dia fosse acontecer.
Reencontrar alguém, é como se Deus dissesse:
- Passou no vestibular, teve paciência, então agora é sua vez de entrar pra faculdade da vida. Maduro e preparado.
Pois quando as coisas não acontecem na hora que você deseja, basta se desligar sem perder o foco.. desligando-se suavemente, o tempo se encarrega de trazer até você, quem nasceu pra ser exclusivamente seu.
Nem sempre esperar é a garantia de que algo vai realizar o que pediu. mas acreditar é! quando você acredita de alma e coração. Quando você sabe que a espera vale a pena. Ter fé é fundamental...
Se tivesse que dar um conselho... diria que o grande lance da vida é você tirar pedras da sua estrada, para que o caminho fique livre para o que o verdadeiro amor chegue. Perdemos muitas coisas por deixar poluir o rio da vida, desviando o trajeto do amor, por ignorância, covardia e medo.
Se você não ama, liberte. Para que a pessoa encontre sua outra metade, e principalmente para que você possa finalmente amar. Eu fiz isso. E recomendo.

Comemorando o 100º post, comemoro também o reencontro que eu sempre esperei.
Um encontro de almas, que mais parecem acordes de um violão... um se encaixa perfeitamente no outro.
Obrigada Deus! Obrigada tempo [senhor de todas as decisões]! Obrigada mundo, flores, música, coração!

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Campeão de Bilheteria

" Tela branca e o projetor colorido
Vai passando cenas de uma paixão
Foram gastos mais de um milhão de beijos
Investidas varias formas de desejo
E trilhado pelas vezes que fizemos amor
Por onde passa ele arrasta multidões
Ensinando os corações a arte cênica do amor
E é por isso que ele já foi censurado
Criticado e aprovado até
Por quem nunca amou "

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Nem sempre que o cavalo passar encilhado na sua frente você precisa montar...


Confesso que não entendo por que as pessoas tem tanta dificuldade de se desapegar do que não faz bem. Presença nitidamente não significa companhia. Uma vez, uma pessoa muito especial na minha vida ( a ponto de me ceder sua própria barriga) disse que não se deve investir naquilo que não te faz feliz... disse também que quando estamos perdidos, a procura do caminho certo... basta refletir um pouquinho... o caminho certo é aquele que tem um coração no meio. E eu muitas vezes insisti em ir pelo caminho que não havia nem rastro de um coração... talvez por teimosia, e sei que nesse caminho já machuquei muita gente, mais do que deveria...

Meu erro é sofrer pelas outras pessoas, esquecendo que eu também tenho dores e muitas, muitas... confusões psicológicas e sentimentais. Eu erro, me entristeço... e erro novamente.
Quando algo chega ao fim, significa que não importa o quanto os outros se importem... pra você não é a mesma coisa, afinal de contas, ninguém pode forçar ninguém a gostar ou desgostar de algo ou alguém. O que me desespera... é ser obrigada a fazer algo que é conveniente mesmo que essa conveniência não traga realização.

Sou impaciente, inconstante... insegura. E assumo. Mas quero que as pessoas percebam que dentro dessa casca por vezes frágil, existe alguém forte e decidida. Responsável. Organizada à sua maneira. Fico preocupada em pensar que no mundo existam pessoas que não se importam se o outro é feliz... são egoístas. Só pensam nas suas dores e no que vão sentir. Por eu me preocupar tanto é que prefiro acabar com o que está quase morto... Pois não aprendi a empurrar com a barriga e muito menos fazer as coisas pela metade.
Não me permito ser "meio feliz" e já cansei de falar isso.

Entre todos os ensinamentos que tive, tanto os científicos quanto os da vida, o que mais carrega na alma é o de não fazer as pessoas se apaixonarem se não somos fortes para sustentar esse peso que é ser amado... mas eu não tenho culpa de ter uma personalidade tão impulsiva, eu tento! eu experimento! mas não sou obrigada a comprar toda a mercadoria que eu toco...

Assim como nos interessamos, também nos desinteressamos... trocamos de foco... a vida afinal, tem que seguir. A torre balança, e as vezes cai... mas é para que uma nova seja erguida. Eu acredito que tudo é renovação... e que não se aposta em time que não ganha.
Colar, quebrar, colar... é coisa de desenho animado, não de vida real. difícil entender?
Para trocar em miúdos... alguém em estado vegetativo não está vivo mas não está morto... e pra que afinal ficar sofrendo por alguém que não reage? Nesse caso, sou favor a eutanásia sentimental. Eu me sinto obrigada a correr atrás da minha felicidade, como eu fiz até agora...
Eu sei que.. nem sempre que o cavalo passar encilhado na sua frente você precisa montar. Por isso Kant já disse que existe moral apenas quando há liberdade... e por falar nisso, o livre arbítrio é o melhor costume que Deus pode dar, e eu sou adepta à ele.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Meu barco...

Quando achei que meu barco havia encontrado o porto... ele se perdeu.

Eu jamais entendi porque o vento consegue ser mais forte do que meus braços, todas as vezes.

É como se meu corpo não reagisse mediante rajadas de vento nem sempre intensas.

Meu barco à deriva flutua, dia a dia, enfrentando toda tempestade - uma por uma - de cada vez.

No cansaço, por vezes afundo.

Não demoro, e a água que tentou me matar é a mesma que me faz ressurgir. A viagem é tranquila para alguns, e tão tumultuada para outros como eu.
O vento além de balançar a estrutura do meu barco, me traz lembranças... imagens de um sorriso que já tentei esquecer, e quando fecho os olhos... incrivelmente me aproximo mais ainda! se não bastasse o anoitecer traz aquele cheiro que já havia esquecido... e quando a lua sobe é como se meu barco começasse a se estabilizar. A viagem até parece tranquila... até as náuseas trazerem tudo à tona... eu perco o comando, perco a visão, o senso de direção, e o controle das pernas... pernas que tremem, quebram e não mais conseguem se firmar.

Velho barcos, velhos sonhos... meus olhos não sorriem, meus lábios secaram... a água salgada não hidrata.. ela corta, deixa em carne viva que é pra eu não esquecer que sinto dor.
Certa vez ouvi dizer que os bons ventos sempre estão à favor dos melhores navegadores... confesso, não é verdade.

De nada adianta ser bom navegador quando o vento se volta contra você... e sem dúvida é o que ele mais irá fazer... tal qual a nossa vida. E falando em vida...

Viajando um dia desses eu prestei atenção da fragilidade dessa cápsula chamada vida...
Você já percebeu que uma palavra dita sem querer é o suficiente para abalar uma estrutura? Um olhar carregado de desejo e saudade basta para que suas certezas se percam, e você não mais possua certeza de qualquer fato que diga respeito ao seu senso de direção, ou à sua noção de tempo/espaço/perigo.

O dia em que meu barco afundar, e não mais retornar à superfície, peço que não me considerem por morta, eu faço parte desse mar profundo, que por mais cruel que tenha sido comigo, muito me ensinou.

Me senti asfixiada muitas vezes, mas não por faltar o ar... e sim por faltar o amor.

Talvez seja esse o destino dos pobres loucos e dos apaixonados.



"... Rima de ventos e velas, vida que vem e que vai...
a solidão que fica e entra, me arremessado contra o cais..."

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

A tese, a antítese, a síntese...


Hoje eu acordei... e tive a nítida sensação que todo dia eu faço tudo igual.

 -Abro os olhos quando o Gildo* canta;
- levanto com vontade de ficar;
- penso o que vestir e digo em alto e bom som que preciso emagrecer;
- lavo o rosto, escovo os dentes e reparo o quanto minha pele está doente;
- me olho no espelho e repito: meu cabelo está horrível;
- subo a elevada... aquele caminho parece aumentar uma légua por dia.

Hoje cheguei no trabalho ... e tive a nítida sensação que todo dia eu faço tudo diferente.

- chego na porta, e recebo um sorriso e um abraço diferente;
- sento no meu posto e me sinto cada dia uma personagem;
- a programação parece tão igual, mas é bem diferente;
- cada dia oferta sua energia e essa energia me move e me alegra;
- cada ligação vem carregada de emoção no pedido de cada pessoa;
- todo dia eu me comprometo a ser a melhor que eu puder ser.

Hoje olhei pra vida e concluí...

Encontrar aspectos negativos toma mais do meu tempo, me cansa e me deprime... enquanto os aspectos positivos vem mais facil, me deixam mais feliz, com a alma leve e o coração aquecido.
Coisas boas, coisas ruins... como toda estrada: caminho reto e curvas... e sabe o que concluo disso tudo? Não dinheiro no mundo que pague o carinho que eu recebo das pessoas! E essas pessoas são amigos, irmãos, pais, amores, ouvintes... uturamente alunos! encaro como missão, fazer tudo que eu puder pra levar felicidade como forma de agradecimento pras pessoas que me fazem bem!

eis a vida, ora! um beijo!


* meu despertador é História dos passarinhos, do mestre Gildo... hehehe

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

O problema de se entregar...

Se eu tivesse que escolher um slogam pra mim... eu escolheria algo como: Eu jogo pra 10 ... 9.5 nem rola!
Pois é, mania de entrar de cabeça em tudo que eu faço.
Me doo demais.
A minha dedicação deixa de ser esforço e passa a ser sofrimento, porque quem se entrega demais, geralmente se machuca demais.
No amor, nas promessas, no trabalho... e até mesmo nas amizades, sou intensa demais, e sei que isso é problema exclusivamente meu.
Uma nota abaixo da média, uma visita que não chegou, uma foto que não foi comentada, a calça que era linda na vitrina mas no corpo ficou uma droga, a festa tão esperada que deu fracasso de público... e até a pontinha virada de traz do cabelo quase imperceptível que ninguém elogiou... tudo isso me atinge.
Criar expectativas não é algo que se deva fazer. O Pedro Bial diz que sua dica é usar filtro solar... a minha é: não crie expectativas.
Cair do 6º andar de boca no chão é essencialmente perigoso. Eu sei porque caio sempre.
Pelo menos uma vez por dia eu sofro pelo que poderia ter dado certo e não deu.
Eu sofro pelo que eu era, acredita?
Eu fico triste de lembrar que ha 4 anos atras, eu chorava por não achar calça que me servisse, e hoje eu sofro por ter, e eu não ter dinheiro pra comprar todas que eu vejo... talvez pra me vingar do sofrimento que me consumia cada vez que ia em alguma loja
Será que algumas pessoas são mais "humanas" que as outras?
Por que eu acho que tudo vai dar certo? Positiva demais? otimista? eu apenas... eu mesma?!
Depois de tanto tempo... tenho aprendido o que é o acontecer naturalmente.... sendo assim, cheguei em um lugar onde nunca imaginei que chegaria.

O errar...



Se te perguntarem qual o pior sentimento que existe... o que você diria?
Ódio? raiva? desprezo?
São várias as hipóteses.
Posso afirmar que não é nenhum desses... o pior sentimento que existe é a: vergonha.
Situações que nos deixem constrangidos faz com que o corpo e a mente reajam e se descontrolem.
Quantas situações já te deixaram seu jeito? e como você reagiu?
O ser humanos, é uma máquina programada para acertar, e quando algum erro acontece, nos tornamos completamente flexíveis.
Mas e porque tanto medo de errar? não é do erro que surgem as aprendizagens?
Se o cara que inventou a coca-cola não tivesse errado a fórmula do xarope, não teríamos o líquido mais consumido do mundo.
Como eu trabalho "ao vivo"... no começo tinha medo de errar, e por isso errei muitas vezes. As famosas rateadas... e isso me deixa uma pilha de nervos.
Com o tempo eu aprendi que errar é normal, quando até os profissionais que estão no rádio há 20 anos se perdem.
Eu brinco com o meu próprio erro, e hoje em dia... não perco mais o sono por causa disso.
Todo erro acontece no tempo onde ainda se possa corrigir.
Sou uma pessoa muito mais leve de alma e de coração, depois que parei de me "pilhar".
E quanto a vida... eu errei muito tempo.
Principalmente no que se refere a amores e desamores... e isso formou a Gabrielle que eu sou hoje. E eu amo essa Gabrielle, pode ter certeza.

Ponha seu melhor vestido, brilha teu sorriso...

Não é novidade pra ninguém que eu tenho um temperamento tanto quanto desligado... Por sua vez, meu temperamento faz com que eu veja o trem só depois que ele passou. Eu não tenho noção de perigo, de tempo, de limites... Por isso eu perco tantas oportunidades, e tantas pessoas.
Ser alguém responsável machucou a minha alma... talvez eu não quisesse crescer.
Recentemente ouvi de uma pessoa : você é maior de idade, e não se governa.
Confesso que até me chocou, por vir de quem veio. Mas a verdade não é essa...
Não é questão de se governar ou não, é questão de respeitar o bem maior, que se chama família.
Tenho um ótimo salário, um ótimo emprego, um ótimo curso universitário, um ótimo noivo, ótimos amigos e principalmente uma ótima família... que sabe o que é o melhor pra mim, ou não!
Minha personalidade acomodada não faz com que eu engula os sapos... e sim que eu saiba escolher o príncipe ao invés do sapo.
Cada um tem o que merece. Definitivamente...
Merece estar comigo, aquela pessoa cuja personalidade seja como a minha, e que tenha um nível igual ao meu. E outra coisa, não menos importante, não aceito comportamentos infantis... mas não vou exigir que criança tenha maturidade...
Não sou interesseira, muito pelo contrário, sou mais coração do que qualquer outra coisa, mas a luta que eu travei com a vida, para chegar até aqui... não permite que eu conviva e me relacione com pessoas que não sejam ambiciosas como eu.
Eu quero casar, ter filhos, ter um jardim... e não daqui 10 anos... por isso, ao invés de desligada... me conceituaria como: alguém com visão de futuro.
Mas com tudo isso, me sinto feliz... a vida precisa seguir! Cada um no seu caminho, cada um com a sua respectiva vida... cada um desenvolvendo da sua maneira...

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Esse teu jeito - Os Tiranos

Essa é de chorar... eita!

Esse teu jeito de olhar
Me deixa assim a pensar
Se lá no fim bem no fim
Ainda gostas de mim
Como machuca esta dor
De ver partir um amor
Que era meu e ainda agora
Mas foi-se embora

Por isso quando se alonga
A gaita numa milonga
Saio a dançar por aí
Pensando em ti

Esse teu jeito de ser
É o que me faz te querer
Que bom seria meu bem
Se tu quisesses também
Sei que um pouco de saudade
Nunca fez mal é verdade
Mas viver na solidão
Não quero não

Por isso quando se alonga
A gaita numa milonga
Saio a dançar por aí
Pensando em ti


Esse teu jeito de amar
Me faz sorrir e penar
Às vezes pura paixão
E outras só ilusão
Não adianta eu me rendo
Pois sofro e não aprendo
Te enchergo e o meu desejo
É dar-te um beijo

Sobre irresponsabilidade e amores correspondidos...

Não é que falte inspiração, eu publico outros texto aqui, por que são textos que eu realmente gosto!
Mas vamos lá...

Falar sobre irresponsabilidade e amores correspondidos...

Se tem algo que me tiro do sério é a falta de responsabilidade para cumprir compromissos. Se quer me perder pra sempre, é muito fácil: prometa, e não cumpra.
Irresponsabilidade não é um defeito, é um vício! E um vício horrível. Se você não cumpre horário uma vez, e vê que nada de ruim acontece, você torna a se atrasar. A falta de punimento nos deixa absolutamente folgados...(pra não dizer bardosos).
A minha indignação é tamanha, que fico dias me remoendo, e isso dói cada vez que lembro. Pode ser o atraso por qualquer motivo, pode ser até por força maior... mas horários pra mim são sagrados desde que comecei a perceber o valor que um segundo tem! Quando observamos que milésimos fazem a diferença, talvez paramos pra analisar que muitos acidentes de trânsito ocorrem na velocidade da luz, nos quinze minutos que demoramos pra sair de casa.
Mas como tempo é relativo* vamos falar da tristeza de um compromisso desmarcado depois de você ter se planejado.
A ansiedade é grande, você escolhe roupa. maquiagem, arruma o cabelo, treina caras e bocas no espelho, capricha no perfume, imagina várias situações, tipo fantástico mundo de Bobby. Até aí tudo bem... você está: tcharararammmm --> pronto! Agora é só esperar... e logo você sai de casa. Aí o telefone toca ( ou nãããão toca) ... e você percebe que a pessoa esqueceu, se atrasou a tal ponto de desistir do compromisso... Por isso eu digo que planejamento é tudo.
Uma vez me disseram que cada promessa não cumprida, é um anjo que cai no inferno.
Se isso é verdade eu não sei... mas não resisto... não deixo de sofrer.
O que é importante pra você, muitas vezes não é ABSOLUTAMENTE nada pras outras pessoas. Nós criamos expectativas sobre tudo que fazemos, criamos, escrevemos, cantamos...  e esse é um grande erro.
Não me arrumo mais sem o telefone tocar... e ponto final.

E o que os amores correspondidos tem a ver com isso tudo?
A situação de uma amiga minha me fez pensar sobre essa relação.
Quando o amor é correspondido, seu namorado atrasa, 5/10/15/30 minutos... até o ponto de você se irritar! E o seu amor correspondido desmarca compromisso um dia antes... sendo que você já tinha comprado roupa, feito as unhas/sombrancelhas/cabelo...

e os amores não correspondidos?

Existem dois tipos...
Ou ele te ignora completamente....quando você não é correspondida.
Ou... quando é você quem não corresponde... ele mal espera você fechar a boca e ele está pronto, perfumado, com flores na mão e abrindo a porta do carro pra você... Pense mais em corresponder, mesmo os que não te interessam tanto... esses são mais esforçados!

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Por que os amores se perdem...


O mais difícil de entender quando os amores acabam, são os porquês. Porque duas pessoas que se encontraram e se encantaram, viveram um amor que parecia indestrutível, se separam?

Por quê o amor geralmente acaba de um lado só e é o outro que fica chorando e querendo entender as razões? Costumo comparar casais a chave e fechadura. Nem toda chave abre todas as portas e é necessário encontrar aquela exata que vai se encaixar perfeitamente e tudo será possível.

Amores deveriam ser eternos, mas nem sempre são.

Mas a gente acredita que cada vez que alguém toca nosso coração e entra, que é definitivo. Um casal que se apaixona de início, sem que um tenha tido o tempo de desnudar o outro nas suas verdades, acredita nessa chama e até briga por ela muitas vezes.

E cria-se sonhos, planeja-se o futuro… Enquanto isso os dias vão passando, toma-se menos cuidado em manter a magia e a parte dos dois que é mais sonhadora começa a sentir-se incomodada. Dá medo. Medo de ter que olhar bem nos olhos da realidade e dizer: acabou!

Medo de ter que se confessar a si próprio que ainda não foi aquela vez! Medo da solidão, de ter que recomeçar… Não são as decepções que matam o amor. Se assim fosse, não existiriam perdões e reconciliações. O que mata o amor é simplesmente a tomada de consciência de que o outro não é o ser sonhado. É como acordar depois de um longo sono e lindos sonhos. O outro está ali, é a mesma pessoa, mas aquela neblina que dava a impressão de irrealidade já não mais existe. E isso não acontece da noite para o dia, como se costuma pensar.

É algo que vem com os dias, os hábitos, as monotonias. Um percebe, o outro não. Um começa a se sentir angustiado e o outro continua acreditando ou finge que acredita. E quando a gota que faz transbordar o vaso chega é o mundo todo que desmorona. Porém, tudo não fica definitivamente perdido. Sobra de um lado a dor, e os porquês, um resto de amor que teima em ficar no fundo como o vinho envelhecido na garrafa e do outro o coração dividido por não poder reparar erros cometidos e a vontade de continuar em busca de outros horizontes. Sobra para os dois a ternura e a lembrança dos momentos passados juntos.

Por que corta-se relacionamentos, mas não se apaga momentos, mesmo que a gente queira. Vivido é vivido, feliz ou infelizmente. Inútil é querer resgatar um amor que resolveu partir pra outras direções. Quanto mais apega-se, mais ele se afasta. E quanto mais se afasta, mais dói no outro a incompreensão. É uma roda da qual é difícil de sair. E é uma pena, pois os corações não merecem isso.

Quando a questão é amor, não existe justo ou injusto. Existe o que ama, e o que não ama mais. Precisamos aceitar que o outro não tenha os mesmos sentimentos, mesmo se isso nos faz mal, por que se o amor não for livre para se instalar onde realmente deseja, ele perde toda a razão de ser.


Por Letícia Thompson

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Palavras de um homem inteligente, que entende de mulher...

O desrespeito à natureza tem afetado a sobrevivência de vários seres e entre os mais ameaçados está a fêmea da espécie humana.

Tenho apenas um exemplar em casa,que mantenho com muito zelo e dedicação, mas na verdade acredito que é ela quem me mantém. Portanto, por uma questão de auto-sobrevivência, lanço a campanha 'Salvem as Mulheres!'
Tomem aqui os meus poucos conhecimentos em fisiologia da feminilidade a fim de que preservemos os raros e preciosos exemplares que ainda restam:

Habitat

Mulher não pode ser mantida em cativeiro. Se for engaiolada, fugirá ou morrerá por dentro. Não há corrente que as prenda e as que se submetem à jaula perdem o seu DNA. Você jamais terá a posse de uma mulher, o que vai prendê-la a você é uma linha frágil que precisa ser reforçada diariamente.

Alimentação correta

Ninguém vive de vento. Mulher vive de carinho. Dê-lhe em abundância. É coisa de homem, sim, e se ela não receber de você vai pegar de outro. Beijos matinais e um 'eu te amo’ no café da manhã as mantém viçosas e perfumadas durante todo o dia. Um abraço diário é como a água para as samambaias. Não a deixe desidratar. Pelo menos uma vez por mês é necessário, senão obrigatório, servir um prato especial.

Flores

Também fazem parte de seu cardápio – mulher que não recebe flores murcha rapidamente e adquire traços masculinos como rispidez e brutalidade.

Respeite a natureza

Você não suporta TPM? Case-se com um homem. Mulheres menstruam, choram por nada, gostam de falar do próprio dia, discutir a relação? Se quiser viver com uma mulher, prepare-se para isso.

Não tolha a sua vaidade

É da mulher hidratar as mechas, pintar as unhas, passar batom, gastar o dia inteiro no salão de beleza, colecionar brincos, comprar muitos sapatos, ficar horas escolhendo roupas no shopping. Entenda tudo isso e apoie.

Cérebro feminino não é um mito

Por insegurança, a maioria dos homens prefere não acreditar na existência do cérebro feminino. Por isso, procuram aquelas que fingem não possuí-lo (e algumas realmente o aposentaram!). Então, aguente mais essa: mulher sem cérebro não é mulher, mas um mero objeto de decoração. Se você se cansou de colecionar bibelôs, tente se relacionar com uma mulher. Algumas vão lhe mostrar que têm mais massa cinzenta do que você. Não fuja dessas, aprenda com elas e cresça.. E não se preocupe, ao contrário do que ocorre com os homens, a inteligência não funciona como repelente para as mulheres.


Não faça sombra sobre ela

Se você quiser ser um grande homem tenha uma mulher ao seu lado, nunca atrás. Assim, quando ela brilhar, você vai pegar um bronzeado. Porém, se ela estiver atrás, você vai levar um pé-na-bunda.

Aceite: mulheres também têm luz própria e não dependem de nós para brilhar. O homem sábio alimenta os potenciais da parceira e os utiliza para motivar os próprios. Ele sabe que, preservando e cultivando a mulher, ele estará salvando a si mesmo.

É meu amigo, se você acha que mulher é caro demais, vire gay.
Só tem mulher quem pode!

Um amor asfixiado...

Muitas pessoas me pedem para escrever sobre o amor entre amantes, quando um deles, ou ambos, são comprometidos e estabelecem uma relação clandestina que se alimenta do próprio sentimento e de mais nada. Pode durar? Deve terminar?
Pode tudo, como qualquer história de amor, e não é fácil, nenhuma relação é.

Amantes vivem uma paixão temperada pelo anonimato. Os encontros escondidos, o segredo unindo os dois, o receio de um flagra, a excitação de estar fazendo algo oficialmente ilegítimo: uma aventura. É como ser personagem de um filme B, a luxúria assumindo o comando, a vida privada ainda mais privada do que normalmente costuma ser. A coragem de abraçar o pecado, desafiando uma sociedade que adora apontar o dedo para aqueles que ousam mais do que outros.

A despeito do que possa haver de culpa numa relação assim e de toda a logística para colocar em prática a operação semanal, para eles compensa. Até que um dia os encontros se banalizam, como tudo que sofre a ação do tempo. O que era excitante passa a entrar para a rotina, e o sexo, estrela principal desse espetáculo, já não basta. Passa-se a requerer o que se requer em todas as relações: a confirmação pública de sua existência.

A ideia de um amor e uma cabana é uma idealização que não se sustenta. Queremos o ninho, mas também queremos voar juntos. Sempre que saímos pra rua, nós conhecemos novas pessoas, lugares, sensações. Tem graça estando sozinho? Podemos compartilhar nossas descobertas com nosso amor através do telefone, mas muito melhor é quando a pessoa que diz estar ao nosso lado está de fato ao nosso lado, não apenas metaforicamente.

Quando dizemos “tenho alguém”, não se está propagando o sentimento de posse como quando dizemos “tenho um carro” ou “tenho um iPod”. Ter alguém significa ter companhia para o teatro, o cinema, os jantares entre amigos, as caminhadas de sábado. Ter com quem desabafar quando a angústia aperta, ter com quem dançar, ter com quem viajar, ter com quem dividir os momentos de prazer e também as indiadas, ter com quem trocar um olhar cúmplice em meio à multidão, ter com quem praticar um esporte, comprar condimentos para cozinhar à noite, escolher um DVD, reclamar das coisas que não deram certo, pedir uma carona no final do expediente, fazer uma surpresa. Por mais que se diga que a tecnologia aproxima as pessoas, você não exercita a convivência por e-mail ou qualquer outra ferramenta virtual, e mesmo o telefone é paliativo: minimiza a distância, mas não reforça o vínculo. Viver junto é junto mesmo.

Não estou levantando a bandeira do grude, bem sei como é importante uma área de respiro, mas está-se falando de ligações em que a presença física é raridade, daqueles casais que só frequentam endereços secretos, uma ou duas vezes por semana. Que não conhecem os amigos e o local de trabalho de quem dizem amar. Que reservam para seus raros encontros a lingerie mais bonita e as palavras mais doces, mas que não abrem janelas, desligam o celular, deixam a porta trancada. Um caso. Um affair. Um microcosmo onde só cabem dois habitantes.

Romântico, pulsante, febril, mas chega uma hora que asfixia. Sair do casulo, namorar ao ar livre, testemunhar as reações um do outro diante dos acontecimentos mundanos, tudo isso me parece mais divertido: uma relação a dois e múltipla ao mesmo tempo. O que reforça a intimidade é ter o que compartilhar, não o que esconder.

MARTHA MEDEIROS

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Um Exemplo de desapego com as abelhas

Após construírem a colméia elas abandonam-na. E não a deixam morta em ruínas, mas viva, e repleta de alimento. Todo mel que fabricaram além do que necessitavam é deixado. Batem asas para próxima morada sem olhar pra trás. Num ato incomum abandonam tudo o que levaram a vida para construir. Simplesmente o soltam sem preocupação se vai pra outro. Deixam o melhor

Deixam o melhor que têm, seja pra quem for - O que é muito diferente de doar o que não tem valor ou dirigir a doação para alguém de nossa preferência. Se queremos ser livres, temos que parar de sofrer pelo que temos ou pelo que não temos, devemos abrigar um único desejo: o de nos transformar. Assim, quando alguém ou algo tem de sair de nossa vida, não alimentamos a ilusão da perda.

O Sofrimento vem da fixação a algo ou alguém. Apego embaça o que deveria estar claro: por trás de uma pretensa perda está o ensinamento de que algo melhor para nosso crescimento precisa entrar. Se não abrimos mão do velho como pode haver espaço para o novo?

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

No amanhecer do teu olhar...


Quando a manhanita de setembro desponta
meus olhos abrem com jeito de campo
e mesmo aquelas velhas histórias que me avô conta
não são tão clássicas quanto o modo o qual eu te amo.

A grandeza desse pampa
faz com que eu me perca mirando ao longe
e quando o quero-quero alerta com o seu canto
eu sinto que estou certa quando digo que te amo ontem menos que hoje.

Um amor bem campeiro
de causar inveja até nos mais maleva
quando te fuzilo com meu olhar matreiro
é como se meu coração dissesse: me leva!

Eu te lacei de forma certeira
e mesmo te vencendo no cansasso
serei sempre, desse jeito, caborteira
mas se tiver que brigar com o mundo por ti : eu faço!

Se achega a semana farroupilha
a pilcha pronta e o coração emocionado
eu mais uma vez preparo minha tropilha
que não é de pingo, mas de amigos... e meu guasca apaixonado.

E lá vamos nós de bombacha e lenço bem atado
um mate na mão escorado, e uma alma toda serena
um amor com tentos foi trançado, e na luz da lua jurado...
não importa qual cor seja a crina, pra sempre serei tua morena!
 

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Fragmentos de amor...






 
" Mesmo que o sol apague e venha a lua te trazer de volta aos sonhos meus
Pode passar mil anos você vai me amar
E eu vou ser pra sempre seu
Mesmo que o sol se apague e venha a lua te trazer te volta aos sonhos meus
Pode passar mil anos você vai me amar
E eu vou ser pra sempre seu..."

                                           ( 1000 anos - Jorge e Mateus )

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Nunca longe, sempre perto...


Já diz a nossa querida Soledad:
"... lejos de ti se me agranda esta pena ... lejos de ti no se acaba la guerra ..."

 

sábado, 21 de agosto de 2010

"Quem não tem namorado é alguém que tirou férias não remuneradas de si mesmo. Namorado é a mais difícil das conquistas. Difícil porque namorado de verdade é muito raro. Necessita de adivinhação, de pele, saliva, lágrima, nuvem, quindim, brisa ou filosofia."
 (Drummond)

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Falar de Amor... Não é Amar!


Se tem algo que tem a capacidade de me deixar sem palavras... esse algo se chama: amor!
Palavra tão pequena, não é mesmo?
E tão grande quando se fala de dúvidas, preocupações, generalizações, desconfiança, medo...
Algo tão complexo quanto ficar em casa num sábado a noite resolvendo problemas com fórmula de Báskara.

Tem dias que o amor pra mim... é só uma palavra calma, quieta, sentada no sofá.
Tem dias que o amor pra mim... é uma vontade louca de tomar uma garrafa cheia em um gole só!

Eu acredito que o amor existe ao contrário das más linguas que afirmam sua inexistência! Eu apenas tenho certeza de que o amor é um baita inconveniente! Assim como aquelas tia-avós chatas que nunca sabem a hora de chegar, e quando chegam, é bem na hora errada, geralmente... quando você estava pronto para sair.
O amor é tão perdido... tão enganado... talvez ele sempre esteja alcoolizado... que pratica uma má distribuição! Ou ainda... tem dificuldade de assimilação! E forma casais errados, como tenho visto muitos por aí... e uns certos até demais.

O amor é como a guerra. Ele espera estar tudo em paz, para chegar e esculhambar a sua vida! Confundir sua cabeça, quebrar seus paradigmas fixos... e ainda... te mostrar que você fez a escolha certa ou errada. E se não bastasse, o danado... se revela pra você quando você não está pronto para resolvê-lo.
O amor me faz tremer... muito mais do que o vento! Por que a impressão que eu tenho é que nunca estou fazendo a coisa certa!

Mas já sinto tanto medo como sentia uma vez... Fazer alguém feliz, é um sorriso no meio de uma tarde de sexta, um vídeo que te faz viajar nos seus próprios pensamentos, desejando ser uma princesa encantada de um reino bem distante.

Por onde fores... não importa onde ou como eu esteja... não desista de mim... me leve junto voar com você!

Eu não devo querer um amor que me deixe sem palavras...
Eu devo querer um amor que me deixe sem fôlego!

Uma América todinha vermelha...

Mais uma vez... e ... num prazo de 4 anos!
Precisa falar mais alguma coisa?
Obrigada Pai... a minha influência colorada veio de ti!


quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Sobre amores e desamores... chegadas e partidas.


Não se pode ter medo de estar só, na sua própria companhia. Chega ser um pecado esquecer de amar a si mesmo.  Estar com alguém, nem sempre significa que você está seguro, mas é a certeza de que tem um ombro pra chorar, ou alguém pra se queixar, ainda numa melhor hipótese... alguém para fazer cócegas e falar bobagens que somente os dois entendem.
É necessário ao ser humano um calor extra. Saber que seu anjo mora naquela outra criatura. E se você souber onde procurar, essa pessoa pode ser o que os mortais chamam de : amor!
Uma conhecida música do meio nativista diz que só não gotejam os olhos de quem não amou. Verdade. Nem tudo são flores nos nossos caminhos... mas sem dúvida, se você se dedicar ao outro e ao amor de vocês toda adversidade é superada no desejo de estar bem perto. As brigas se resolvem no cheiro, no gosto, na cama...
Tão dificil compreender que não existe perfeição? Que sempre vai haver discordância? Perfeitamente natural e orgânico que ocorram brigas, o que eu quero contestar ... é o fato de brigar com alguem que te ama, pelo simples motivo de ela não pensar igual a você. Com tanto problema no mundo, porque fazer da sua vida pessoal um inferno particular?
Tá sozinho? Procura alguém... mas não alguém perfeito! Procure alguém que seja o melhor que puder ser, que se esforce pra te fazer feliz... ao modo dela!
Tem alguém ao seu lado? Cuide dela... cuide bem! Ame até mesmo os defeitos dela! Significa que ela está viva, e junto com você... e não importa o que aconteça... eu sei que você poderá contar com ela!
De valor ao que Deus escolheu pra você.
O seu caminho é algo que você mesmo deve guiar... nunca esquecendo que você está exatamente onde Deus quer que você esteja.
Seja paciente! Olhe internamente mais do que externamente.

Não é sorte, é Deus!


Incrível a mania que as pessoas tem de sempre rotular os acontecimentos da vida alheia.
Foi sorte, foi azar, foi descuido, foi "gata", foi "zebra" ... nossa! quantos termos pra justificar até mesmo a ordem natural das coisas.
Um recente acontecimento me faz parar pra pensar exatamento sobre isso.
Os sustos maiores acontecem quando alguém que a gente ama passa por uma situação complicada. Penso eu, que a razão se perde, e a emoção transborda fazendo com que a gente não tenha a real noção do tamanho das coisas. Passado esse acontecimento, uma pessoa me olha e diz:
- poxa, Gaby... que sorte, ein!
E eu com meu natural sorriso irônico (porem bem consciente) digo:
- Não foi sorte, foi Deus!
Ele sabe bem o que faz, e nada mais perfeito do que o Amor e a bondade Dele. Sabe exatamente onde colocar a mão, desviando tragédias. Que são vão os aneis, e fiquem os dedos! Prejuízo material dá-se jeito... as pessoas são insubstituíveis.
Ainda bem... agora tudo está em paz! Foi só um sustinho que me deixou tremendo!
Reforçando a ideia de que... eu não posso viver sem você... a ponto de não imaginar que um dia algo ruim possa te acontecer.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

" ... Do lado de cá... tem música, amigos e alguém para amar..."


Fazer-se feliz.
Fazer os outros felizes.
Ser propiciador de felicidade.
Em cada detalhe, um motivo pra sorrir.
Aprender, desaprender, ensinar.
Uma palavra nova no vocabulário

Menos queixas
mais agradecimentos
mais motivação
menos tédio
mais música
menos noticiário
mais amor
menos inveja
mais sexo
menos desânimo
mais família
menos álcool
mais livros
menos televisão.

Mais Gaby
menos cópias deslavadas e sem graça.

beijos amores =*

Nada mais chato...


Coisa irritante, fingir que tudo está bem.

Eu , por exemplo, detesto ter que fazer determinadas coisas pelo simples fato de agradar alguém.
Comer o que não gosta, pra não fazer desfeita.
Beijar alguém que não beija do jeito que você realmente gosta, pra não deixar a pessoa triste.
Ir a um lugar que você detesta, pra não deixar a pessoa chateada.
Assitir um filme policial, quando você só gosta de comédia romântica... mas não fala nada pra não frustar os planos da outra pessoa.
Eu sou totalmente contra isso...
A pior demonstração de falta de respeito é limitar-se! Fazer o que não gosta pela opinião alheia.
Uma frase apenas: Ah, fala sério!
E onde fica o tal de amor próprio?
Se você está com alguém , é por que gosta dela... e se gosta dela: tem liberdade.
Lógico e fácil assim.

Palavra chave: Diálogo!

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Os dias vão...


Pode até demorar um pouco, mas um dia a gente percebe que os machucados cicatrizam e as dores passam. Muitos poetas já escreveram sobre o tempo... o tempo como melhor remédio. Mas o tempo também faz mal.
O tempo gera a saudade.
Saudade daqueles pequenos detalhes, que antes passavam desapercebidos... Coisas rotineiras, como uma ligação fora de hora, a canção que toca no rádio e que te faz lembrar momentos especiais, até mesmo os mal entendidos nas tardes frias de inverno.
A verdade é que eu cansei de desencontros... cansei de sofrer por uma ausência.
Por isso, eu paro no meio do caminho de partida, e volto! Volto ao ponto inicial, quando pela primeira vez o meu olhar cruzou com o teu. Esqueço todas as falsas promessas que fiz a mim mesma... nem mais lembro de tantas coisas que falei ao vento!
 O tempo que passou? Passou! somente...

Bendita vida, em que podemos seguir escrevendo sem precisar voltar as páginas do livro.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

... * Alice * ...

O Blog Sonhos de Florecita inicia hoje a série "Contos tão normais" ... trazendo em alguns personagens coisas simples, e ao mesmo tempo significativas, sempre com algum pensamento reflexivo! espero que gostem! beijos =*


Ela era mais uma garota - comum -... sabe? daquelas que não tem nada especial.
Era a mais velha de três filhas. Tinha um quarto só pra ela. Celular comum. Não gostava de orkut, nem de msn, não tomava leite, não comia massas. Até então uma garota qualquer, como disse antes, comum.
Pra não ser tão amarga, pode ser rotulada como : sem graça.
Cabelos médios, castanhos assim como os olhos, baixa estatura, pele branca até demais.
Mania irritante de não ter gosto musical definido, o que tocar na rádio, para Alice tava de bom tamanho.
Férias, era época de limpar a casa, dar banho nos cachorros, e sentar na área, comer a fruta da estação, também não tinha preferência. Praia ou campo não era uma questão que fazia parte dos seus dias.
17 anos, a linha tênue entre o fui e serei. E pra não dizer que não tinha algo de diferente... Alice namorava com Adriano. Filho único, fã de AC/DC e Led Zeppelin, alto, moreno, cabelos compridos, taxista. Oposto total. Mas ainda sim, estavam juntos num razoavel tempo de 2 anos e 1 mês.


Se conheceram em uma festa de 15 anos. Casualmente na festa de 15 anos da própria Alice.
Festa sem graça, com cores sem graça, música sem graça, de tão morna parecia mais uma reunião do grupo de jovens nerds. Ganhou festa por insistênsia dos pais... por pouco nem compareceu à própria festa. Sair de casa pra ela, era cansativo demais. Na festa apenas familiares, e um pessoal da escola... pouca gente, ela não gostava de se relacionar com muitas pessoas. Adriano foi com o irmão, colega de Alice. Depois de tomar algumas cervejas, perguntou ao irmão, o por que da menina estar sozinha o tempo todo. o irmão respondeu o que todos pensavam : Alice não gosta de pessoas, quanto menos... melhor.


Adriano já estava com aquela sensação de garganta apertada, consciência confusa, e traços de embriaguez.
Foi caminhando à passos lentos até aquela garota de vestido rosa desbotado, sentada perto da mesa de som, olhando os outros se divertir.
- Oi?
- ... oi ...
- Estava te observando. Você deveria estar se divertindo, não?
- ... não...
- Por quê? É sua festa de 15 anos.
- ... e?? ...
- Bom, você é quem sabe.


Virou as costas, deixou cair um cartãozinho. Adriano Lima de Andrade (54) 9999-5566, taxista.
Quem? Adriano? taxista? o que ele está fazendo aqui? E que diferença isso faz? ela não gostava de ninguém que estava ali.
Manhã posterior. O telefone toca sem parar. A cabeça dói... resquícios de álcool, e um gosto de indiferença na boca. O telefone continua tocando.
- Alô
- ...
- Alô!!!
- .. oi ...
(aquele oi lhe era familiar )
- quem fala?
- Alice.. nós nos conhecemos ontem a noite.Pausa. Quem seria Alice? Seria algum tiro no escuro, e Adriano sequer lembrava.
- Eu sei, você não deve lembrar, ninguém lembra.


- Calma, eu vou lembrar...
Claroooooo! é a menina do vestido rosa, a dona da festa. Lembro. Aquela que não gosta de ninguém.


- Não é bem assim... Mas, esquece (...) Você é taxista, não precisa saber da minha vida, só me prestar serviço. Estarei pronta em 20 minutos, e te espero no endereço combinado.


Desde aquele dia, a menina que não gostava de ninguém, passou a gostar de um alguém. E esse alguém se chamava Adriano.
Eles não iam em festa pois Alice não gostava, não iam no cinema pois Alice não se interessava, não iam passear por que Alice cansava, não viajavam pois Alice enjoava, não iam jantar fora pois Alice não gostava de outra comida que não fosse a da sua mãe.
Mas ainda sim se divertiam juntos. Sentavam na área de casa, e ela ficava ouvindo as histórias dele. Ela ouvia o violão dele, um pouco desafinado, mas ainda sim ele se esforçava. Assistiam TV, mas só no domingo, e só se tivesse pipoca com manteiga.
Relação sem graça, assim como tudo que envolvia... Alice.


Adriano não ia mais em shows, não visitava os amigos, não comprava discos, nem sabia o que estava acontecendo, como se estivesse fora do mundo que o cercava, um mundo paralelo, um mundo de Alice.
Todos julgavam, condenavam... o cara que melhor cantava nos ensaios de garagem, o melhor motorista da cidade, o melhor parceiro para as noitadas de cerveja, o melhor amigo para aconselhar... o melhor tudo, tinha abandonado a vida, por uma menia, simples e sem graça. Ele sabia, que aquele corpo branco e sem curvas, tinha um calor sem igual. Aqueles lábios em forma de coração era macios como nenhum outro. Em 22 anos, não havia conhecido alguém tão alheia ao mundo que a cerca. E era exatamente aquilo que tanto lhe chamava atenção.
Simples pra quem olha de fora, mas tão complexo pra quem vive!
 Ela não se importavam como ele se vestia, nem quanto dinheiro tinha... nem ao menos se preocupava se o seu carro tinha sistema de som... Ela só se preocupava em estar com ele, cada vez mais perto. Interesse não fazia parte do seu vocabulário.
Pode ser que ele desejasse que ela fosse mais vaidosa... ou que gostasse de andar de mãos dadas na chuva. Mas ela não gostava de festa eletrônica, não usa legging branca, e não queria subir nos capôs dos carros no posto de gasolina, como 90% das garotas da sua idade.
Ela seria uma boa dona de casa, ela seria uma boa mãe - pensava Adriano.
As festas acabavam no outro dia, a bebedeira passa, os amigos casam, tem filhos, tomam seu rumo, as bandas acabam... o que fica são as nossas atitudes.
As vezes as decisões não são o que realmente queremos, mas o que precisamos fazer para que tudo fique em paz.
Adriano não trocou Alice por ninguém! Alice mudou... por que ele a quis da forma como a conheceu, e não tentou mudá-la! esperou que o tempo fosse moldando ela. E aconteceu. o tempo cura, Deus sabe bem o que faz! Alice começou a comer carne pra ir nos churrascos de domingo, começou a frequentar o cinema, e até passeava pelas ruas da cidade... se permitiu voar quando achou que era a hora certa.


Não importa o quanto as pessoas digam que você fez uma escolha errada. Não é uma escolha errada. É a sua escolha! Cada um sabe o que se passa na sua alma, no seu coração... e pouco importa o que é razão! Os que se guiam pela razão são muito problemáticos.


Ser NORMAL... cansa! Ser COMUM... é chato! Mas o pior de tudo, é escolher o rumo da sua vida a partir das ideias dos outros.


Seja Adriano! Não se importe com a opinião alheia! Não ouça quem não vive a relação diretamente! Troque as coisas grandiosas, por pequenos detalhes! Cuide mais da sua Alice do que da sua reputação!

by Gabrielle Moraes

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Linhas...

Você é aquele poema que eu levei anos para escrever...
aquele que eu imaginava que fosse ser o maior e melhor de todos.
E nessa expectativa de atingir a perfeição poética, me perdi nas minhas próprias ideias.
Tuas linhas perfeitas, contrastam com as linhas tortas que ousei escrever.
Maldita caneta que falha quando mais inspiração me vem a mente em uma madrugada qualquer,
fria e tão sem por quê!
Eu gostaria apenas de entender, de que forma se manifestam os poetas quando se apaixonam pelos seus próprios erros e defeitos!
Talvez um poema sem sentido, não seja tão ruim assim.

Nunca uma primavera levou tanto tempo para chegar...

quarta-feira, 14 de julho de 2010

"Ah o amor ...que nasce não sei onde, vem não sei como e dói não sei porque..."


" Despedir-se de um amor é despedir-se de si mesmo. É o arremate de uma história que terminou, externamente, sem nossa concordância, mas que precisa também sair de dentro da gente." (Martha Medeiros)

"Medo de amar? Parece absurdo, com tantos outros medos que temos que enfrentar: medo da violência, medo da inadimplência, e a não menos temida solidão, que é o que nos faz buscar relacionamentos. Mas absurdo ou não, o medo de amar se instala entre as nossas vértebras e a gente sabe por quê. " (Martha Medeiros)

"O amor romântico é como um traje, que, como não é eterno, dura tanto quanto dura; e, em breve, sob a veste do ideal que formámos, que se esfacela, surge o corpo real da pessoa humana, em que o vestimos. O amor romântico, portanto, é um caminho de desilusão. Só o não é quando a desilusão, aceite desde o príncipio, decide variar de ideal constantemente, tecer constantemente, nas oficinas da alma, novos trajes, com que constantemente se renove o aspecto da criatura, por eles vestida." (Fernando Pessoa)

" Quando o amor vos fizer sinal, segui-o; ainda que os seus caminhos sejam duros e escarpados. E quando as suas asas vos envolverem, entregai-vos; ainda que a espada escondida na sua plumagem vos possa ferir." (Khali Gibran)

"Um amor bem verdadeiro, uma vida bem íntima com uma mulher, a quem se queira como amante, que se estime como irmã, que se venere com mãe, que se proteja como filha, é evidentemente o destino mais natural ao homem, o complemento da sua missão na terra." (Júlio Dinis)

"Não deixe de acreditar no amor, mas certifique-se de estar entregando seu coração para alguém que dê valor aos mesmos sentimentos que você dá, manifeste suas idéias e planos, para saber se vocês combinam, e certifique-se de que quando estão juntos aquele abraço vale mais que qualquer palavra..." (Luís Fernando Veríssimo)

# " ... O contrário do Amor ..." #


O contrário de bonito é feio, de rico é pobre, de preto é branco, isso se aprende antes de entrar na escola. Se você fizer uma enquete entre as crianças, ouvirá também que o contrário do amor é o ódio. Elas estão erradas. Faça uma enquete entre adultos e descubra a resposta certa: o contrário do amor não é o ódio, é a indiferença.


O que seria preferível, que a pessoa que você ama passasse a lhe odiar, ou que lhe fosse totalmente indiferente? Que perdesse o sono imaginando maneiras de fazer você se dar mal ou que dormisse feito um anjo a noite inteira, esquecido por completo da sua existência? O ódio é também uma maneira de se estar com alguém. Já a indiferença não aceita declarações ou reclamações: seu nome não consta mais do cadastro.

Para odiar alguém, precisamos reconhecer que esse alguém existe e que nos provoca sensações, por piores que sejam. Para odiar alguém, precisamos de um coração, ainda que frio, e raciocínio, ainda que doente. Para odiar alguém gastamos energia, neurônios e tempo. Odiar nos dá fios brancos no cabelo, rugas pela face e angústia no peito. Para odiar, necessitamos do objeto do ódio, necessitamos dele nem que seja para dedicar-lhe nosso rancor, nossa ira, nossa pouca sabedoria para entendê-lo e pouco humor para aturá-lo. O ódio, se tivesse uma cor, seria vermelho, tal qual a cor do amor.

Já para sermos indiferentes a alguém, precisamos do quê? De coisa alguma. A pessoa em questão pode saltar de bung-jump, assistir aula de fraque, ganhar um Oscar ou uma prisão perpétua, estamos nem aí. Não julgamos seus atos, não observamos seus modos, não testemunhamos sua existência. Ela não nos exige olhos, boca, coração, cérebro: nosso corpo ignora sua presença, e muito menos se dá conta de sua ausência. Não temos o número do telefone das pessoas para quem não ligamos. A indiferença, se tivesse uma cor, seria cor da água, cor do ar, cor de nada.



Uma criança nunca experimentou essa sensação: ou ela é muito amada, ou criticada pelo que apronta. Uma criança está sempre em uma das pontas da gangorra, adoração ou queixas, mas nunca é ignorada. Só bem mais tarde, quando necessitar de uma atenção que não seja materna ou paterna, é que descobrirá que o amor e o ódio habitam o mesmo universo, enquanto que a indiferença é um exílio no deserto.

Martha Medeiros

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Vende-se

Sabe aquela música... do vende-se um apartamento, no coração da cidade? e bla bla bla... um enredo muito triste pro meu gosto!
To colocando anúncio também...




Vende-se uma moça...
cabelos vermelhos no sol e castanhos à sombra, olhos castanhos meio invernizados, geralmente emoldurados, e sempre sinceros.
Pouco mais de 1,60... mas uma alma grande demais, que mal cabe dentro dela.
Apaixonada por música, sapos, canetas pretas e folhas brancas... coleciona bons momentos e cuida bem das amizades verdadeiras.
Ela não tem medo de tempestades, nem de morrer sozinha.
Dança razoavelmente bem... e se veste de um jeito único.
Não coleciona roupas de marca, nem bolsas da Victor Hugo... mas conhece riquezas mais elevadas que isso... sabe o poder que tem uma frase como "conte comigo".
Não tem um corpo perfeito, mas tem uma consciência tranquila.
Não gosta de nada muito sofisticado, e se pudesse viveria no campo, no meio do nada, para construir sonhos sem limites.
Muitas vezes ela pensar em cantar, dançar, gritar e até mesmo voar... pois se a vida dá 1.000 motivos pra chorar, ela apresenta 10.000 pra sorrir!


O nome dela é Gabrielle Moraes... preços a combinar! Sob a pena de não-devolução do produto depois de conquistado!

Olho para o céu, e posso ver toda luz que preciso!


Há muitos dias os pensamentos permeiam a minha vida. Não estou falando em nível normal... mas exageradamente! como se eu precisasse olhar para dentro de mim, numa ânsia desesperada de achar razões e inspirações.
Penso que nunca tive amigos que eu amasse tanto! Eu sempre tive um grande número de amigos, hoje tenho pouquissimos, mas que eu amo como a mim mesma!
A música me garante a renovação e energia... e a família me garante o aconchego e os braços abertos mesmo após os erros.
Quem disse que precisa ter alguém pra ser feliz? o amor próprio e a força que vem de Deus fazem com que minha sensação de vazio seja completa...
só peço que o inverno passe logo... por que cobertor normal não é o suficiente né? hehe =*

"BORBOLETAS"


Quando depositamos muita confiança ou expectativas em uma pessoa, o risco de
se decepcionar é grande.


As pessoas não estão neste mundo para satisfazer as nossas expectativas, assim como não estamos aqui, para satisfazer as dela.

Temos que nos bastar... nos bastar sempre e quando procuramos estar com alguém, temos que nos conscientizar de que estamos juntos porque gostamos, porque queremos e nos sentimos bem, nunca por precisar de alguém.


As pessoas não se precisam, elas se completam... não por serem metades, mas por serem inteiras, dispostas a dividir objetivos comuns, alegrias e vida.

Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com a outra pessoa, você precisa em primeiro lugar, não precisar dela. Percebe também que aquela pessoa que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente, não é o homem ou a mulher de sua vida.


Você aprende a gostar de você, a cuidar de você, e principalmente a gostar de quem gosta de você.

O segredo é não cuidar das borboletas e sim cuidar do jardim para que elas venham até você. No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você!

do mestre poeta ... Mário Quintana!


foto: eu e o amor da minha vida!

quarta-feira, 7 de julho de 2010

"No mundo sempre existirão pessoas que vão te amar pelo que você é, e outras que vão te odiar pelo mesmo motivo. Acostume-se a isso, com muita paz de espírito...".

e geralmente são pessoas que um dia vc confiou... ( fica a dica!)

terça-feira, 6 de julho de 2010

Desejo...

Hoje acordei com uma vontade que tomou conta da minha alma...
Vontade de olhar por cima do meu ombro e ver você dormindo ali do lado.
Sentir o teu cheiro, ainda quente, de uma noite tranquila.
Lembrar de uma noite de amor intensa e incomparável (como todos os momentos de nós dois).
O meu corpo chama por ti, como se houvesse uma necessidade de ter você cada vez mais perto. Sentir a tua boca na minha...
Meu pescoço rende-se ao teu mais profundo suspiro,aquele que cambaleia pertos dos meus ouvidos, e que me faz simplesmente delirar.
O meu pensamento vai mais longe... como se no mundo existisse somente nós dois.
Eu fico lembrando de cada momento que estive perto do teu corpo... é como se tuas mãos fossem o encaixe perfeito de cada curva minha...
Sei que quando olha bem firme dentro dos meus olhos, eu chego tremer... eu que sempre me achei tão forte, não resisto aos teus encantos.
Dançando com você, é como se a minha alma saisse do meu corpo e entrasse na tua.

Desejo logo abrir os olhos e você estar me olhando, esperando eu acordar.

quinta-feira, 1 de julho de 2010

♪ esse meu jeito meio Gabrielle, meio não-sei-quem ♪

Hoje eu acordei com aquela sensação de quando o copo está cheio e não dá mais pra engolir! é como se a minha necessidade de se sentir completa, tivesse sido resolvida. Esse meu desejo por liberdade, beijos roubados, caminhar na chuva, beber algo desconhecido... Eu quero ser comunicadora, professora, mulher, mãe, amiga, cantora, escritora... eu quero ser musa, inspiração... ser a solução dos problemas, ou a causa de todos eles! Eu queria que as pessoas vissem tudo com mais animação e desejo... uma especie de tesão pela vida vulgarmente falando! Eu quero saber quando vai ser o dia em que eu vou pegar a estrada, e ir assim... pra bem longe! sem lenço, sem documento, sem celular, GPS... Só com um travesseiro e uma mochila... o mate bem cevado, alguns beijos e afagos... e uma voz no ouvido falando: vai dar tudo certo! e ao fim da viagem, deitar lado a lado, sentindo a respiração bem perto do pescoço... e a voz volta a dizer: eu sabia que tudo ia ficar bem! e depois de tanta liberdade, a gente encerra a viagem com um beijo tão demorado e um banho quente... como nunca se havia imaginado na vida! As almas e os corpos se entrelaçam e se tornam únicas... as mãos deslizam pelo corpo... e o corpo parece emitir uma canção de melodia única e sincera... e o suspiro fala por si: chegamos!

terça-feira, 29 de junho de 2010

Sobre olhos, e olhares...

Hoje pela manhã, recebi uma mensagem que falava sobre olhos e olhares... e comecei a pensar no quanto isso me atinge.
Uma vez um amigo veio ao meu programa de tarde e disse:
- quem se encanta pela voz da Gaby, não tem ideia do que são os olhos dessa criatura!
Outra vez, remotamente posso me lembrar... nos tempos de ensino médio, outro amigo falou:
- Teus olhos parecem que são emoldurados pela maquiagem... como se o preto do delineador quisesse protegê-los!
Em uma carta de tantos amores que tive estava assim escrito:
- Seus olhos são como diamantes cravados em tua face, e não há nada que brilhe mais do que quando você olha!
Eu paro pra pensar, o que afinal de contas faz com que meus olhos, ou olhares encante as pessoas... e chego a uma conclusão:
Olhos são janelas da alma. Mesmo que eu esteja passando uma dor, a minha alma que é leve, e está presa atrás das minhas retinas - se manifesta!
A sinceridade que tenho para com tudo que me faz bem ou desperta o meu desejo é revelada pelo modo como eu olho... Motivo pelo qual eu não consigo mentir... meus olhos entregam!
Os meus olhos conseguem superar até a imponência da minha voz... por que os meus olhos falam mais... mais do que qualquer palavra!
" ... Não me prendo a nada que me defina. sou companhia, mas posso ser solidão. tranqüilidade e inconstância, pedra e coração. sou abraços, sorrisos, ânimo, bom humor, sarcasmo, preguiça e sono. música alta e silêncio. serei o que você quiser, mas só quando eu quiser. não me limito, não sou cruel comigo! serei sempre apego pelo que vale a pena e desapego pelo que não quer valer… suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato. ou toca, ou não toca ..."


(Clarice Lispector)

segunda-feira, 21 de junho de 2010


Vou cuidar melhor do meu jardim!

Cada flor que aparece... eu cuido com amor, água e paciência.
As pragas eu elimino com tolerância.. afinal de contas, as coisas boas sempre vencem as ruins.
Já não vou me importar com as ervas daninhas... porque nada é totalmente ruim que não possa ter algo de bom... só cuidarei para não prejudicar minhas flores.
Beijarei com a alma cada passarinho, abelha e beija-flor... que ajuda a manter meu jardim.

Cuide do seu também.

Meio assim, do jeito Gabrielle de ser...

Bom dia vida!

Hoje eu acordei meio flor, meio borboleta, meio nuvem, meio lágrima, meio sorriso...
Bom, mas acordei! que ótimo! o que eu queria, aconteceu! é tão bom quando a vida sorri pra gente.

Levantei, congelei, respirei fundo e abri a torneira... água gelada, mente quente. Dentro de mim uma pergunta: - por que o tempo custa pra passar?

O inverno nunca falha na missão de se tornar primavera...Pois então que faça isso mais rápido possível! O frio dói em mim... e a falta que você me faz, mais ainda!
As coisas sempre ficam melhores quando você está perto, o que minha alma não entende é que eu não posso ficar contigo... e a vida é assim mesmo. Aprendi a cair... aprendi melhor ainda como se deve levantar.

Quero dias de sol, quero sentar na grama, quero o meu mate qunte que só eu sei tomar... que parece queimar a garganta... escorrendo lentamente, assim como deve ser a sua saída da minha vida... dói... mas tem que ser sem pressa, pra não me fazer cair em desespero.

Obrigada Deus pela saudade que posso sentir, foram momentos bons, que o tempo não trará de volta, mas não irá apagar! afinal, tudo é aprendizado.

Será que eu já posso enlouquecer, ou devo apenas sorrir?

sábado, 19 de junho de 2010

Tudo é uma questão de tempo, ponto de vista...

Hoje eu estou "meio" filosófica... preocupada com meros devaneios simples que me atormentam, aqueles que vem tentando trazer tempestade onde a calmaria se estabeleceu.
Vejo tantas violetas velhas sem colibris, enquanto eu só peço o "vazio"... uma mente que dói de tanto pensar, só pede por sossego, sabe?
Será que Freud explica isso? e o que afinal sabe Freud sobre as dores da alma dessa moça?
Estou numa sensação de "ultimo dia de rodeio"... " fim de carnaval" ... de "beijo de despedida"... mas ao mesmo tempo eu vejo minha alma flutuar... ou seja: estou com dor, muita dor! mas estou calma, muito calma!
Eu não sei o que quero, mas também não sei o que quero, talvez seja o mal de quem nada quer, mas tudo quer! eu sou ambiciosa, mas muito descansada. é aquela história de "não desisto do que eu quero, mas não me desespero".
Quantos amores morrem antes mesmo de nascer? muitos! eu não tenho por que reclamar, Deus me da a sorte de viver histórias de amor, enquanto muitos nem sabe o que é amor!
Eu sinto saudade... de beijos, de cheiro, de cores, amores, loucuras, desejos... eu ouço aquela música que me lembra alguém especial que por algum motivo não pode ser meu.
Como estou ouvindo Ze Ramalho lembrei da célebre " ninguém tem o mapa da alma da mulher"... e não é que ele está certo?
Esse meu querer, quase sem querer...
o vento vai responder, eu sigo pela rua, cantarolando pequenos hinos de amor... pedindo energia e luz pra continuar rindo e sendo aquela metamorfose que todo mundo conhece!

Ligação..

- Serviço de atendimento do Céu, arcanjo Gabriel, bom dia! no que posso ajudar?
- Alô? eu poderia por favor falar com Deus?
- Pois não, quem gostaria?
- diz pra Ele que é a Gaby, sabe... a Gaby da rádio UCS fm... Ele me conhece bem!
- só um minuto por favor.
(...)
- Alô?
- Oi Deuuuuuuuuuuus! bom dia meu querido preferido!
- Fala Gaby, que foi dessa vez?
- Pois é Deus, hoje eu liguei só pra agradecer... por tanta coisa boa que o Senhor tem me proporcionado.
- Ok Gaby, eu sei bem o que está acontecendo, sou onipotente e onipresente, lembra?
- Ahhhh claro Senhor, mas fiz questão de ligar! e só mais uma coisinha...
- Diga filha...
- Tira essa saudade do meu coração tá? beijos!!!!

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Inversão de valores?


Hoje de manhã eu estava me maquiando pra vir trabalhar, e ouço a voz da minha sobrinha perguntando pra mãe dela:
- Mãe, por que todo mundo ama a Copa?
A minha irmã não respondeu.
E eu parei com aquela pergunta.
Eu perguntei internamente:
- É. Por quê?
Sentimento de amor pela sua Terra? Nacionalismo? Fanatismo? Exagero?
O povo só se une quando tem Copa do mundo?
Não estou condenando os amantes do futebol, até pelo fato que eu gosto também.
Me refiro ao exagero publicitário.
Um País que não se une pra resolver os próprios problemas, e egocentricamente vê as coisas passar bem embaixo dos seus olhos, e nada fazem... Afinal, pra que me preocupar com os problemas dos outros se eu tenho os meus?
Não tem comida nos armários. "Estamos fazendo um regimezinho pra sobrar orçamento pra uma TV nova... Tá chegando a Copa, né?"
Será que sou a única que está vendo essas atrocidades?
É a Copa acaba, os problemas continuam.

Desculpa Layza, mas a tia Gaby também não sabe responder essa sua pergunta, talvez eu esteja com outra idéia de valores e união.